Notícias

01.03.2018

Segundo Big Swell a caminho das Urcas

Segundo Big Swell a caminho das Urcas

Urca 2018. Foto: Clemente Coutinho

Um novo big swell de Norte, que desta vez se aproxima com maior intensidade, energia e com mais angulação de Norte, atinge amanhã os litorais do Norte-Nordeste do Brasil e os atletas do Seaway Team Eduardo "Rato" Fernandes e Douglas Silva já estão a caminho do litoral Norte do Rio Grande do Norte para surfar esse swell que promete ser histórico nas bancadas oceânicas das Urcas.  


Rato Fernandes cavando na morra da Urca durante o Swell do último fim de semana de Fevereiro de 2018. Foto: Clemente Coutinho.

Esta trip será a terceira do Legend da Seaway Eduardo Fernandes, enquanto o atleta da nova geração Seaway Douglas Silva estará estreando nas big waves das Urcas. Esse novo Big Swell de Norte é proveniente de um Ciclone Extra Tropical que se formou no meio do Oceano Atlântico nesta semana. 


Com experiência nas ondas do Tahiti, México e Indonésia, Dodô promete fazer bonito nas ondas das Urcas. Foto: Ben Thouard.

Segundo o site de previsões Surfguru, esse ciclone extra tropical tem uma pressão extremamente baixa no seu núcleo (972 mb), o que provoca um vendaval muito intenso ao redor dele, com intensidade que excede em alguns locais os 80 quilômetros por hora, soprando sobre uma pista de cerca de 4 mil quilômetros de extensão e apontando diretamente para o litoral do Brasil.


O tempo em que esta ventania está soprando sobre o oceano também é importante, já são mais de dois dias de vento intenso sobre o oceano, o que garante a formação de vagas que ultrapassam os 13 metros de altura próximo ao arquipélago de Açores.


Estes vagalhões deverão continuar o seu deslocamento sobre o oceano Atlântico norte, se transformando em swell no meio do caminho, quando passar próximo ao arquipélago de Cabo Verde, se afastando do centro de geração de ondas. O ciclone extra-tropical que gerou as ondas gigantes deverá neste momento estar causando fortes temporais sobre os países da Península Ibérica (Portugal e Espanha).

O swell continua a sua caminhada veloz em direção ao litoral norte do Brasil, atravessando o Equador na quarta-feira e atingindo com maior intensidade os estados do Ceará, Rio Grande do Norte e o arquipélago de Fernando de Noronha.

O período de pico deste swell fica entre 16 e 18 segundos quando ele chegar ao litoral do Brasil, o que significa que ele possui uma imensa quantidade de energia se deslocando principalmente embaixo d'água. Esta energia irá aflorar na superfície quando as ondulações passarem sobre águas rasas, este efeito que é conhecido como "empinamento", ocorre quando a energia submersa das ondas são empurradas para a superfície do mar quando estas passam sobre um assoalho marinho raso. 

É justamente o efeito de empinamento que irá garantir que as ondas no litoral Norte do Brasil, especialmente nos picos de surf que recebem esta direção de swell, registrem ondulações que poderão ultrapassar os 4 metros em locais como Fernando de Noronha e a Urca do Minhoto no Rio Grande do Norte.

Fique ligado nas nossas notícias da próxima semana com imagens e relatos da expedição.
+ News
Topo
  Carregando...